03 / 01 / 2017
Nota de apoio do CREMERJ à Fiocruz
Diante da atitude do ministro da Saúde, Ricardo Barros, de desrespeitar o pleito eleitoral da Fiocruz, ignorando a vitória nas urnas da candidata Nísia Trindade Lima, o CREMERJ vem a público manifestar seu apoio aos servidores da Fundação. Ao nomear, na sexta-feira passada, a candidata que ficou em segundo lugar na eleição, com quase mil votos a menos, o ministro segue dando demonstrações que se opõem ao fortalecimento das instituições brasileiras. 

Respeitar o processo democrático da instituição, cujas contribuições e conquistas para a saúde no Brasil são internacionalmente reconhecidas, é fundamental para a defesa da autonomia da Fundação. A Fiocruz é estratégica para o SUS e para a saúde pública, e como tal precisa ter respeitados sua autonomia e seus processos legítimos.

A taxa de participação da comunidade da Fiocruz no processo eleitoral foi de 82,1%, o equivalente a 4.415 servidores. Nísia Trindade Lima teve 2.556 votos, ficando em primeiro lugar, ante os 1.695 votos de Tania de Araújo-Jorge, segunda colocada e indicada de Ricardo Barros. O resultado, inclusive, já havia sido homologado pelo Conselho Deliberativo da Fiocruz e encaminhado ao ministro da Saúde em 28 de dezembro.

A atitude do governo afronta a prática democrática da instituição, que há 25 anos elege seus dirigentes a partir do pleito eleitoral, sendo empossado como presidente o candidato mais votado. 
            
O CREMERJ espera que o ministro da Saúde reveja a decisão em prol da democracia do Brasil.