30 / 01 / 2017
Arquivos do CREMERJ passam por restauração
O CREMERJ, em parceria com o Arquivo Nacional, promoveu a recuperação dos primeiros processos éticos instaurados pelo Conselho. Os 36 rolos de microfilmes, que estavam em avançado estado de deterioração, foram restaurados e digitalizados. Entre os microfilmes está o primeiro processo ético do Conselho, instaurado no ano de 1958.  
 
De acordo com o corregedor do CREMERJ, o conselheiro Renato Graça, na década de 1980, todos os processos éticos foram microfilmados para possibilitar mais espaço para novos arquivos, sendo inutilizados os processos em papel. No entanto, com o passar do tempo, os filmes sofreram deterioração, o que prejudicava a pesquisa.
 
De acordo com o supervisor do departamento de digitação e microfilmagem do Arquivo Nacional, Alex Pereira de Holanda, os documentos passaram por um processo de lavagem, duplicação em mídia analógica e digitalização para acesso. Os técnicos ainda sugerem a criação de um espaço climatizado adequado para o depósito dos arquivos.
 
Nessa quinta-feira, 26, durante plenária, o CRM homenageou os técnicos envolvidos na restauração dos arquivos. A gerente do Centro de Pesquisa e Documentação (CPEDOC) do CREMERJ, Carmo Maria de Araújo, responsável pelo acompanhamento da reparação, também foi homenageada.
 
O presidente do CREMERJ, Pablo Vazquez, ressaltou a importância da recuperação dos documentos, que contam a história da criação dos processos de ética médica.  “É de grande satisfação concluir o trabalho de restauração desses documentos e ver que a história do CREMERJ está sendo conservada. Essa manutenção da trajetória do PEP é muito importante e auxiliará as futuras gerações médicas a conhecer tudo que foi feito até hoje”, declarou.