14 / 02 / 2017
CRM promove palestra sobre Febre por Chikungunya
A Câmara Técnica de Doenças Infecciosas e Parasitárias e Controle de Infecção Hospitalar do CREMERJ promoveu, no dia 11 de fevereiro,  o evento “Febre por Chikungunya”, com palestras sobre a situação epistemológica da doença, as manifestações clínicas, o diagnóstico laboratorial e complementar e as condutas terapêuticas nas fases aguda, sub-aguda e crônica. A abertura do evento foi feita pela conselheira responsável e pelo coordenador da Câmara Técnica, Marília de Abreu e Celso Ramos. 

“Nesse primeiro fórum de 2017, trazemos o debate sobre uma arbovirose que, por suas características e quadro clínico, pode levar algumas pessoas até a perdas laborativas”, comentou Marília de Abreu.

Celso Ramos destacou as epidemias de verão e falou também sobre a febre amarela, destacando que não se deve vacinar indiscriminadamente na região metropolitana do Rio de Janeiro.

O subsecretario de vigilância da Secretaria de Saúde do Estado, Alexandre Chieppe, explicou que o cenário epidemiológico aponta para uma ocorrência grande de casos de chikungunya esse ano. Segundo o palestrante, já foram notificados 296 casos no Estado em 2017, dos quais  76% na capital. 

“Ainda conhecemos pouco sobre o comportamento da chikungunya e a sua disseminação na população. Isso traz uma dificuldade grande porque, além de ter de entender a dinâmica da infecção do mosquito no homem, há um complicador que é a circulação concomitante de algumas arboviroses. Isso dificulta o diagnóstico e, por conseguinte, as estatísticas”, observou.

Além de Celso Ramos, também ministraram palestras os especialistas Marta Cavalcanti e Alberto Chebabo.