13 / 03 / 2017
CREMERJ visita Secretaria Municipal de Saúde de Magé
O presidente do CREMERJ, Nelson Nahon, reuniu-se com a recém-empossada secretária municipal de saúde de Magé, Stela Mary Vidal, e o coordenador de Urgência e Emergência da região, Leonardo Logan, para conhecer o planejamento de gestão para a área de saúde da região. Também participaram do encontro, que aconteceu nessa sexta-feira, 10, o coordenador e os membros da seccional Duque de Caxias do CREMERJ Benjamin Baptista de Almeida, César Danilo Angelino Leal e César Fonseca da Silva.

Durante a reunião foi discutida a questão da atenção básica e as dificuldades do município com a regulação do Estado.

Sobre recursos humanos, a secretária informou que a implantação de Organizações Sociais (OSs) não é a filosofia do município. 

"A nossa preocupação é que a prefeitura consiga manter um bom atendimento à população. Sobre a contratação de profissionais, reafirmamos a importância da realização de concurso público com salários justos, além de planos de cargos. Acreditamos que essa é a forma correta de fixar o médico nas unidades principalmente nas emergências",ressaltou o presidente do CREMERJ.
 
A secretária de saúde falou ainda sobre os planos da sua gestão e apresentou alguns números. 

"O prefeito de Magé tem ajudado bastante a saúde do município, 30% do orçamento vem para o nosso setor. Temos 63 postos de Estratégia Saúde da Família (ESFs) em funcionamento, além de uma emergência por distrito. Porém, ao iniciar minha gestão, fiquei impressionada com o fato do município estar há cinco anos sem realizar  o exame preventivo ginecológico. Agora vamos começar a fazer o nosso dever de casa e corrigir os problemas", garantiu Stela.
 
O coordenador da Seccional Duque de Caxias, Benjamin Baptista de Almeida, entregou à secretária um relatório de fiscalizações, realizado pelo CREMERJ, para que sirva de subsídios para o planejamento de saúde da região. 
 
"O objetivo principal dessa reunião é tornar público que o CREMERJ é uma autarquia federal que tem, além da prerrogativa de fiscalização, a intenção de ajudar as demais autoridades de saúde. O intuito é contribuir com subsídios para que se façam políticas de planejamento e programas de saúde ", finalizou Benjamin.