07 / 04 / 2017
Especialista chama atenção para questão química na área médica
O presidente do CREMERJ, Nelson Nahon, participou da abertura do Seminário de Educação em Segurança Química promovido pelo Programa de Engenharia Ambiental na Indústria de Petróleo, Gás e Biocombustíveis, Fundação Jorge Duprat Figueiredo de Segurança e Medicina e Trabalho (Fundacentro) e Radix Engenharia e Software, nessa sexta-feira, 07, na sede do CREMERJ. 

O representante da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) na Comissão Nacional de Segurança Química (Conasq), Newton Richa, iniciou o evento falando do panorama internacional da segurança química. 

“Em 2002, na Rio + 10, foi lançada uma meta global para todos os países implementarem um sistema efetivo de gerenciamento de substâncias químicas até 2020. Já estamos em 2017 e pouco se fala sobre isso no Brasil”, salientou. 

O médico e pesquisador da UFRJ também alertou para o surgimento de doenças graves relacionadas ao uso de produtos químicos. 

“O uso de produtos químicos em todas as atividades humanas tem promovido comodidade e facilidade, mas tem gerado problemas. O Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (Pnuma) publicou, em 2015, um alerta informando que a maior causa de morte no mundo são os produtos químicos, principalmente nos países em desenvolvimento e subdesenvolvidos, que concentram 94% desses registros”, disse. 

Ainda no encontro foi abordada a importância de integração de instituições e entidades ligadas à questão ambiental, para difundir as informações em segurança química. Segundo Newton Richa, é importante que os médicos tenham orientação e noções básicas de segurança química e de toxicologia, pois é muito possível que muitas das queixas dos pacientes estejam relacionadas a algum fator químico.