08 / 05 / 2017
Melchiades Calazans: hospital fechado e médicos sem receber
Médicos do Hospital Estadual Vereador Melchiades Calazans (HEVMC), em Nilópolis, reuniram-se com membros do CREMERJ, nessa quinta-feira, 5, para denunciar que o corpo clínico permanece sem receber o pagamento das verbas rescisórias, após o fechamento do hospital, ocorrido no dia 29 de dezembro do ano passado.

Participaram da reunião o presidente do Conselho, Nelson Nahon, e os conselheiros Gil Simões, Serafim Borges, Marcos Botelho e José Ramon Blanco, que também preside a Associação Médica do Estado do Rio de Janeiro (Somerj).

Com o fechamento do hospital, serviços importantes como cirurgia geral, vascular, o Centro de Tratamento de Queimados, a Unidade de Terapia Intensiva (UTI) adulta, a UTI e a Unidade Intermediária neonatal foram desativados e todos os funcionários foram demitidos. O HEVMC era administrado pela Organização Social Hospital Maternidade Therezinha de Jesus.

Segundo os médicos, somente em fevereiro a Secretaria de Estado de Saúde (SES) fez o repasse para a OS correspondente ao pagamento dos meses de novembro e dezembro, assim como o 13º salário. Porém, eles permanecem sem previsão para receber os vencimentos da rescisão contratual. Eles relataram que o problema teve início no fim de 2015, quando começaram os atrasos dos salários dos médicos devido à falta de repasses para a OS.

Para o diretor e coordenador da Comissão de Fiscalização (Cofis) do CREMERJ, Gil Simões, o fechamento da unidade compromete toda a assistência da população do município e da região no entorno.

“O CREMERJ está produzindo um mapeamento, em conjunto com a Defensoria Estadual, da assistência hospitalar na Baixada Fluminense. Com os dados que já coletamos podemos obervar que a situação da saúde nessa região é grave. Fechar um hospital geral, e que oferecia serviços importantes, nessas circunstâncias é um grande absurdo”, frisou.

No começo do ano, a Secretaria de Estado de Saúde (SES) havia anunciado que o hospital passaria por uma readequação e seria reaberto como um hospital de traumato-ortopedia.