01 / 06 / 2017
Darcy Vargas: Clínica de Oncologia Rio Bonito fecha as portas
O CREMERJ realizou uma fiscalização, nessa segunda-feira, 29, na Clínica de Oncologia Rio Bonito com o objetivo de averiguar a denúncia do fechamento do serviço, que funcionava nas dependências do Hospital Regional Darcy Vargas. A clínica estava sendo desmontada no dia da visita do Conselho.

A situação do município em relação à assistência oncológica é grave, pois a unidade possuía 480 pacientes em tratamento quimioterápico e cerca de 3.200 em acompanhamento pós-tratamento. A clínica prestava atendimento para a população de Rio Bonito e das cidades do entorno desde janeiro de 2012 e realizava em torno de 30 cirurgias por mês. 

Após a vistoria, o coordenador da Comissão de Fiscalização (Cofis) do CREMERJ, Gil Simões, entregou o relatório de fiscalização à Defensoria Estadual do Rio de Janeiro.  

De acordo com os médicos, o Hospital Darcy Vargas não quis renovar o contrato com a empresa e não providenciou outro serviço de referência para que os pacientes pudessem continuar seu tratamento e acompanhamento. Eles ainda afirmaram que para uma estrutura semelhante funcionar no local, seriam necessários, pelo menos, 90 dias para que todos os equipamentos, recursos humanos e materiais pudessem ser adequadamente instalados.  

"O mais preocupante dessa situação é que os doentes que estavam em tratamento quimioterápico terão seus ciclos interrompidos, sem nenhuma outra unidade para dar continuidade ao tratamento, o que impacta diretamente a chance de cura ou sobrevida", frisa o coordenador da Cofis, Gil Simões.

Entre as dificuldades enfrentadas pela população da região estão o início da radioterapia e da branquiterapia, além da realização de exames de tomografia e de ressonância magnética, que são feitos em Itaboraí, com demora de até 90 dias para a sua marcação.

A Clínica de Oncologia Rio Bonito atendia pacientes com os tumores mais prevalentes, como trato gastrointestinal, mama, urológicos e ginecológicos. Os demais tumores eram regulados para outras unidades, através da Central de Regulação Municipal.