02 / 08 / 2017
CREMERJ contesta declaração do prefeito de Duque de Caxias
Entre os meses de abril a julho de 2017, o CREMERJ e a Defensoria Pública do Estado do Rio de Janeiro fiscalizaram 52 unidades de saúde da Baixada Fluminense. As vistorias, realizadas por equipe especializada, composta por médicos fiscais e demais profissionais, seguem normas e resoluções do Conselho Federal de Medicina (CFM), CREMERJ e Anvisa. Considerando isso, o CREMERJ condena veementemente as declarações do prefeito de Duque de Caxias, Washington Reis, durante entrevista no programa Bom Dia Rio da TV Globo, na manhã desta quarta-feira, 2, que acusou a Defensoria Pública de mentir sobre a situação das unidades vistoriadas.

No dia 30 de maio, a equipe vistoriou o Hospital Municipal Dr. Moacyr Rodrigues do Carmo, de Duque de Caxias, onde foi constatado um quadro de grave déficit de profissionais de saúde, sobretudo no setor de emergência, falta de equipamentos e insumos básicos, além de equipamentos fora de uso, como mesas cirúrgicas, respiradores, monitores de sinais vitais e o tomógrafo, que estava inoperante há um mês.  

Nos demais municípios, as fiscalizações constataram falta de profissionais de saúde, déficit de medicamentos e insumos básicos, déficit de equipamentos para exames, como tomógrafos e superlotação. Por conta do fechamento de unidades, os hospitais em funcionamento têm enfrentado aumento na demanda. Profissionais de saúde têm trabalhado sob pressão, mas infelizmente a população é a mais prejudicada pela falta de condições adequadas de atendimento.

A despeito das declarações do prefeito de Caxias, o CREMERJ e a Defensoria Pública continuarão trabalhando em defesa de uma Saúde Pública de qualidade para a população fluminense.