14 / 08 / 2017
Soperj faz homenagem pelo Dia do Pediatra

O presidente do CREMERJ, Nelson Nahon, compareceu ao evento de confraternização em homenagem ao Dia do Pediatra, celebrado em 27 de julho, organizado pela Sociedade de Pediatria do Estado do Rio de Janeiro (Soperj), nessa quinta-feira, 10. Na ocasião, a entidade homenageou com uma menção honrosa a equipe médica da UTI neonatal do Hospital Estadual Adão Pereira Nunes e os médicos do Hospital Moacyr do Carmo, que prestaram atendimento ao bebê Arthur, baleado ainda no útero da mãe, em Duque de Caxias.

A conselheira Kássie Cargnin e o diretor do Conselho Federal de Medicina (CFM) e secretário geral da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP), conselheiro Sidnei Ferreira, também participaram do evento. 

Nelson Nahon falou sobre a especialidade e parabenizou as equipes médicas homenageadas. "Essa comemoração ao Dia do Pediatra está sendo importante porque a homenagem vai para uma equipe médica que atendeu pelo SUS. Esses médicos, além de competentes e dedicados, também mostraram que o SUS é viável e importante. O que não é viável é um governo que não investe na saúde da sua população. E a mensagem que fica ao nosso ministro da Saúde é que, mesmo sem condições ideais de trabalho e com déficit de insumos e fechamento de serviços, os médicos atende bem seus pacientes", disse Nahon. 

À frente da Soperj, Isabel Madeira explicou que a homenagem foi uma forma de ressaltar o empenho e profissionalismo da equipe de médicos dos hospitais Moacyr do Carmo e Adão Pereira Nunes. "Em meio a tanto descaso com os médicos, a Soperj decidiu fazer uma menção honrosa a essa equipe de profissionais de hospitais públicos, que cuidou tão bem do bebê Arthur. Achamos por bem responder com flores a todas as críticas contra os médicos", falou Isabel.

O coordenador médico da UTI neonatal do Hospital Estadual Adão Pereira Nunes, Eduardo de Macedo Soares, reforçou a importância do trabalho em equipe e de um atendimento de qualidade. "Essa homenagem é para os dois hospitais que ajudaram muito esse bebê. Todo o cuidado e estudo feitos em prol do Arthur refletiram, literalmente, o que é o SUS. Esse tipo de atendimento é o que todos devem receber e é o que eu garanto a todo paciente do Adão Pereira Nunes", ressaltou Eduardo.

Para o conselheiro Sidnei Ferreira, a pediatria é a especialidade mais ligada à família e tudo o que acontece com a criança afeta toda a sociedade. "O que ocorreu com o bebê Arthur, que já nasceu dentro de um ato de violência, foi muito marcante e, apesar de todas as dificuldades de recursos humanos e de materiais e fora de qualquer protocolo, essa equipe se dedicou a tentar salvá-lo. Esses profissionais mostraram que ainda existe e sempre existirá humanidade na medicina", concluiu Sidnei.