08 / 09 / 2017
Hupe inaugura novo centro de urologia

O presidente do CREMERJ, Nelson Nahon, participou, nesta quarta-feira, 6, da inauguração do Centro de Tratamento da Litíase Urinária (Centralu), uma extensão da enfermaria do serviço de urologia do Hospital Universitário Pedro Ernesto (Hupe). A unidade é direcionada ao tratamento de cálculos que estão localizados no trato urinário, que pode ser desde o rim até a bexiga.

Integrou a mesa de inauguração Nelson Nahon; o diretor do Hupe, Edmar dos Santos; o coordenador do serviço de urologia do Hupe, Ronaldo Damião; o reitor da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj), Rui Garcia Marques; e o secretário Estadual de Saúde, Luiz Antônio Teixeira.  

Edmar Santos ressaltou a importância da inauguração do Centralu, em meio ao retorno dos serviços que estavam prejudicados pela crise financeira da unidade. Ele lembrou as dificuldades enfrentadas pelo hospital e parabenizou todos os funcionários pelo empenho e pela dedicação para manter o Hupe aberto.

“A inauguração do Centralu mostra o quanto podemos fazer mesmo ainda nos recuperando da crise que atingiu a unidade nos últimos anos. Este ato representa exatamente o espírito do Hupe: a vontade de superar as dificuldades e prestar o melhor atendimento à população. Que este centro seja o primeiro de muitos que vamos inaugurar daqui pra frente”, disse o diretor do Hupe.

De acordo com Ronaldo Damião, a criação do Centralu contribuirá para atender a uma necessidade crescente da população fluminense.  “O cálculo renal é uma condição extremamente frequente, em torno de mais ou menos 8,5% da população tem este problema ou já teve algum episódio de uma cólica renal. No entanto, há um déficit de unidades especializadas na rede pública. O Centro de Tratamento da Litíase Urinária vai auxiliar na redução da fila de pacientes que esperam por este atendimento”, acrescentou.

Localizado no quarto andar do hospital, o Centralu possui cinco leitos e uma sala no centro cirúrgico onde são realizadas diariamente três cirurgias para cálculo, com todas as possibilidades de tratamento. A unidade ainda conta uma equipe multidisciplinar formada por urologistas, cirurgiões, anestesistas, nefrologistas e enfermeiros e dispõe de equipamentos para a realização de exames de imagem de alta complexidade, como ressonância, urografia excretora e tomografia.

Nelson Nahon parabenizou a direção e o corpo clínico pelos esforços para manter o Hupe aberto, mesmo diante das dificuldades. Ele ainda ressaltou que a unidade é um exemplo de como o Sistema Único de Saúde pode dar certo.

“A Uerj deu uma lição de como o SUS é viável, resistindo à destruição da saúde pública. A categoria dos médicos precisa estar unidade para garantir que o SUS permaneça. Também vamos continuar lutando por condições dignas de trabalho, melhores salários, concurso público e carreira de Estado. A manutenção do SUS é possível e vamos garantir isso com a nossa união”, finalizou Nahon.