27 / 09 / 2017
INC faz campanha de conscientização sobre doação de órgãos

O Instituto Nacional de Cardiologia (INC) organizou uma ação em parceria com a Socerj nessa quarta-feira, 27, no Largo do Machado, para conscientizar a população sobre a importância da doação de órgão, no dia que é comemorado o Dia Nacional de Doação de Órgão. O evento contou com a participação de representantes do corpo clínico do INC e de pacientes transplantados.

O INC é o único hospital público credenciado pelo Sistema Único de Saúde (SUS) para executar o transplante cardíaco no Estado do Rio de Janeiro.

“A campanha que está sendo realizada hoje quer chamar a atenção para o assunto. Ainda existe uma resistência muito grande por parte dos familiares que autorizam a doação, mas ainda compressível, visto que a abordagem da equipe da captação de órgãos é feita de forma muito imediata”, disse a cardiologista Luciana Lobbé.

Segundo dados do Programa Estadual de Transplantes (PET), em nível nacional, 45% das pessoas abordadas se negam a doar os órgãos. O programa é responsável por gerenciar todo o processo de doação e da fila para a cirurgia.

O programa de transplantes se iniciou em 2007 e, até o momento, já fez 71 transplantes de coração, sendo quatro em crianças. Atualmente existem 18 pacientes aguardando na fila para a cirurgia.

“O INC possui uma equipe multidisciplinar no setor de transplante, que presta atendimento para todos àqueles que estiveram na fila, para que o paciente esteja habilitado a realizar a cirurgia no momento em que surgir o doador compatível. E essa mesma equipe presta assistência aos pacientes após o transplante”, salientou imunologista Lígia Schtruk. 

Luciana explica que o tempo para o sucesso dos transplantes é primordial. “O transplante de coração deve ser realizado em até quatros horas, contando com o tempo de captação do órgão até ser colocado batendo no peito do paciente no centro cirúrgico. Para esses casos contamos com o apoio da polícia e do corpo de bombeiros, para que o órgão seja transportado em tempo hábil”.

Já o cardiologista pediátrico Alexandre Cauduro, que é responsável pelo transplante cardíaco pediátrico, ressalta os avanços na assistência no setor, que é referência no tratamento de cardiopatia congênita infantil. “O INC realizou esse ano o primeiro transplante em uma criança cardiopata congênita no Estado do Rio de Janeiro, tratado na unidade desde os dois dias de vida, quando realizou a primeira cirurgia”.

 

O presidente do CREMERJ, Nelson Nahon, compareceu ao evento em apoio à ação promovida pelo INC.

 

 Na foto: Victor Salles, Alexandre Cauduro, Lígia Schtruk,

Nelson Nahon e Luciana Lobbé