09 / 01 / 2018
Residentes do município decretam greve

Em assembleia promovida pela Associação dos Médicos Residentes do Estado do Rio de Janeiro (Amererj) nessa segunda-feira, 08, na sede do CREMERJ, residentes dos hospitais municipais do Rio de Janeiro decidiram entrar em greve a partir de sexta-feira, 12. A suspensão das atividades durará uma semana, mas pelo menos 30% dos médicos do serviço continuarão trabalhando.

Entre as principais reivindicações do movimento, estão o pagamento das bolsas em atraso, a criação de ações que promovam a segurança dos residentes e a garantia de melhores condições de trabalho. Os médicos também pleiteiam o fim do sucateamento das unidades hospitalares.

“O resultado da assembleia, com a decretação de greve, era esperado. Temos lutado pela normalização das bolsas há algum tempo, mas não temos visto interesse das autoridades em resolver o problema. A partir de agora, aumentamos as esperanças de conseguir fazer com que a residência seja uma prioridade para os gestores públicos”, disse o vice-presidente da Amererj, Luiz Fernando Rodrigues.

O presidente do CREMERJ, Nelson Nahon, ressaltou que o Conselho apoia o movimento. “A greve é justa e legítima. A prefeitura precisa dar uma posição sobre o pagamento das bolsas. Além disso, os residentes não têm boas condições de trabalho, o que prejudica muito a formação", afirmou.

Estiveram presentes na reunião residentes dos hospitais municipais Souza Aguiar, Salgado Filho, Barata Ribeiro, Lourenço Jorge, Jesus, Miguel Couto e Piedade, além dos que integram os Programas de Medicina de Família. Também participaram o conselheiro e membro da Comissão de Médicos Recém-formados do CREMERJ, Pablo Vazquez, e o diretor de Educação Médica do Sindicato dos Médicos do Rio de Janeiro (Sinmed), Alexandre Telles.

Uma nova assembleia será realizada no dia 18, às 16 horas, no CREMERJ, para definir os rumos do movimento. Um ato unificado ocorrerá nesta sexta-feira, no Centro do Rio. A concentração começará às 9h, em frente ao Hospital Municipal Souza Aguiar, de onde o grupo deve seguir até a sede da Secretaria Municipal de Saúde.