Tratamento para hemofílicos no Hospital do Fundão beneficia pacientes de todo o país
04 / 05 / 2017
Usuários hemofílicos do Sistema Único de Saúde (SUS) encontram tratamento de ponta de radiossinoviortese, técnica efetiva e pouco invasiva, no Hospital Universitário Clementino Fraga Filho (HUCFF), que recebe pacientes encaminhados pelos centros de hemofilia de todo o país, em sua maioria crianças.

Há 14 anos, a hematologista Sylvia Thomas, que coordena o Grupo de Radiossinoviortese do HUCFF, que ganhou novas instalações em abril deste ano, deu início à prática desse tratamento no Brasil. Segundo a especialista, o país tem o maior número de casos documentados do tratamento na hemofilia, o que nos torna referência internacional. “Enquanto temos mais 1300 casos, a Espanha, que é o segundo que mais realiza o tratamento com hemofílicos, tem 500. Nosso grupo de pesquisa multidisciplinar tem participado de eventos no Brasil e no mundo. Como o tratamento é pouco invasivo e efetivo (cerca de 80% de sucesso), queremos treinar outros profissionais aqui e lá fora para expandir o procedimento”, ressalta.

O método de radiossinoviortese consiste em remover a área que provoca os sangramentos presente nas articulações, através da injeção de um radiofármaco, e resulta na diminuição das hemorragias, da dor e dos edemas característicos da doença.

Sobre a doença:
A hemofilia é uma doença rara que atinge 12 mil pessoas no país e acarreta em dificuldade na coagulação sanguínea. É frequente que os pacientes apresentem sangramentos nas articulações que, caso não sejam tratados rapidamente, podem levar a lesões permanentes e deformidades nesses locais.

Fonte: Ascom HUCFF